Minhas Leituras #68: A assombração da Casa da Colina – Shirley Jackson

Capa livro A assombração da Casa da Colina

“Rainha do terror? Sério?”

Título: A assombração da Casa da Colina
Autor: Shirley Jackson
Editora: Suma
Ano: 2018
Páginas: 240
Tradução: Débora Landsberg
Encontre o livro na Amazon: https://amzn.to/2sAOakc

“Nenhum organismo vivo pode existir muito tempo com sanidade sob condições de realidade absoluta […]” (JACKSON, Shirley. A assombração da Casa da Colina. Editora Suma, 2018, p. 7)

Em um de seus livros mais conhecidos, Shirley Jackson apresenta uma história de casa mal-assombrada. Será que dá medo? Continue lendo para saber!

Musa do terror e do mistério

Ao longo de sua carreira, Shirley Jackson escreveu seis romances e mais de duzentos contos. É um número expressivo, considerando que sua carreira foi curta, interrompida por uma insuficiência cardíaca aos quarenta e oito anos de idade.

Goste você ou não de suas obras, o fato de que Jackson foi muito importante para o gênero terror é inegável, principalmente por ter sido uma mulher escrevendo nesse ambiente tão dominado por homens. Ganhou destaque e muitos autores famosos a elogiam, como Stephen King e Neil Gaiman.

Seus livros venderam bem e ela foi importante para alavancar o terror na literatura, mostrando que são livros que alcançam boas vendas, o que abriu espaço para novos autores. Foi vencedora de diversos prêmios literários, como o Edgar Award, e algumas de suas obras já foram adaptadas para o cinema.

“A gente nunca sabe de onde está vindo a nossa coragem.” p. 50-51

Uma casa mal-assombrada

Certo dia, Dr. Montague resolve iniciar um projeto, com o intuito de provar que o sobrenatural existe de fato. Experiente nesse tipo de assunto, ele pretende investigar uma casa com fama de mal-assombrada — a Casa da Colina. Procurando ajudantes, envia convites para certos indivíduos pré-selecionados. Três pessoas topam a proposta: Eleanor Vance, Theodora e Luke Sanderson (futuro herdeiro dessa propriedade “assombrada”).

Dr. Mantague, então, aluga essa casa por três meses, pretendendo passar o verão todo empenhado em sua investigação. Uma história muito trágica marca essa antiga residência, onde ninguém conseguiu viver feliz por muito tempo, afinal, coisas estranhas costumam acontecer por lá.

E assim o enredo se desenrolará, com os personagens investigando os mistérios da Casa da Colina, onde cada noite é uma experiência diferente. A narrativa foca, principalmente, em Eleanor, uma mulher tímida e reclusa. Até o final do livro, todos eles terão vivenciado momentos inimagináveis.

“Tudo é pior quando você acha que tem alguma coisa te olhando.” p. 116

Cadê o terror?

Este é um livro vendido como um clássico do terror, com a autora sendo chamada de “rainha do terror”. Essa afirmação é apenas marketing, já que se trata de um livro que pode causar diversos sentimentos (frustração, principalmente), exceto medo.

Como em ‘Sempre vivemos no castelo’ (livro que já resenhei AQUI), os personagens são infantilizados, bobinhos. Os diálogos são inverossímeis e sem sentido, é preciso esforço para crer se tratar de adultos. Isso deixa a atmosfera do livro leve, com toques de humor; o que estraga qualquer tentativa de seriedade, embotando o terror. Shirley Jackson até tentou criar momentos aterrorizantes, porém, nenhum deles funciona bem.

Você já assistiu a um episódio de Scooby-Doo? É um desenho animado onde os personagens investigam supostas ocorrências sobrenaturais, mas com o enredo voltado ao humor, algo que funciona muito bem em um desenho animado. Ler ‘A assombração da Casa da Colina’ passa a mesma sensação de estar assistindo a esse desenho, mas de uma forma piorada, não é algo que funciona bem em uma obra literária (não nesse caso, ao menos).

Há momentos interessantes, até parece que tudo vai melhorar, mas fica no “parece”. Um ponto positivo desse livro é que o enredo deixa uma dúvida: será que aquilo que está acontecendo é realidade (realmente existe alguma assombração), ou será que tudo não passa de um delírio dos personagens (será que estão todos ficando “loucos”?)?

“As pessoas estão sempre ávidas por dar nome às coisas, mesmo que o nome seja sem sentido, contanto que tenha uma sonoridade científica.” p. 69

Sobre a edição

Edição muito bonita, seguindo o mesmo estilo da edição de ‘Sempre vivemos no castelo’. Capa dura, arte cheia de estilo, miolo em papel Pólen Soft, boa diagramação.

Segunda tradução de um livro de Shirley Jackson feita por Débora Landsberg. Uma boa tradução, com uma linguagem um pouco simplista em alguns momentos, e mais rebuscada em outros (não sei se é o estilo da autora ou se foi uma decisão editorial). Em geral, um bom trabalho.

“O medo é a renúncia da lógica, a renúncia voluntária de padrões sensatos. Ou cedemos a ele ou lutamos contra, mas não nos é possível encontrar um meio-termo.” p. 152

Conclusão

Por ser um livro vendido como terror, escrito pela “rainha do terror”, ‘A assombração da Casa da Colina’ não entrega o que a editora promete. A história não dá medo, os diálogos são ruins, os personagens, bobos. Nada ajuda a dar uma opinião positiva, a não ser o final que deixa uma questão em aberto: será que existe uma assombração, ou todos estão ficando loucos? Apesar de esta ter sido uma boa sacada da autora, não é algo que salva a obra; os pontos negativos falam mais alto. Em geral, o clima da narrativa não é sério, pende para o humor, o que acaba por estragar qualquer tentativa de criar um clima de tensão. Um livro que não tem muito sentido e não chega a lugar algum. Somente uma pessoa muito medrosa sentiria algum arrepio com esse enredo.

“Às vezes as pessoas que nos derrubam nem olham para trás.” p. 17

Minha nota (0 a 5): 2

Alan Martins

Encontrei uma erro de concordância bem feio nessa edição. Clique AQUI para visualizá-lo.

Livro Assombração Casa Colina Suma de Letras
Edição muito bonita, porém essa beleza não salva o enredo ruim.

Parceiro
Livros mais vendidos Amazon
Clique e encontre diversos livros em promoção!

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Anúncios

Autor: Alan Martins

Graduando em Psicologia. Amante da Literatura, resenhista e poeta (quando bate a inspiração). Autor e criador do Blog Anatomia da Palavra. Não sou crítico literário, porém meu pensamento é extremamente crítico.

16 pensamentos

    1. Esse seu apontamento ajuda a fechar o caixão de vez! 😂
      É, terror é o livro mesmo. Não gostei nada. A história de terror mais fraca que já li até hoje.
      Me alegra muito em saber que aprecia os meus posts!
      Obrigado.
      Abraço.

      Curtir

    1. 😂😂
      Eu estaria mentindo se dissesse o contrário disso. É uma história bem sem graça e que nem parece terror. Tentei ser o mais sincero possível (e aproveitei pra zoar um pouquinho também 😜)!
      Acho que funcionou!
      Obrigado pela visita.
      Abraço.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s