Março: doce como chocolate

Já que hoje é Páscoa, dia de grande significado religioso, mas abocanhado pelo comércio de chocolate, aproveitarei esse fato para definir o meu mês de março: doce como chocolate.

Não que tenha sido melhor mês de minha vida, mas foi o melhor para o blog. Gostei do número de visitas, algo gratificante, a recompensa de todo o esforço investido (e não é pouco, é preciso quebrar a cabeça para trazer um conteúdo interessante, porém é algo que vale a pena e gosto de fazer). Espero que continue assim em abril!

Esse novo mês vai começar cheio de desafios: provas, estágio, trabalhos. Quem disse que o último ano da faculdade é fácil? Nunca imaginei que seria, e acabei não me surpreendendo tanto, só que não é nada mole! Cada ano (cada nível) tem sua dificuldade. Ainda bem que consigo enfrentar tudo isso, ao menos conto com as ferramentas necessárias para tentar.

Apesar de todas essas novidades aparecendo em meu caminho, ainda consegui tirar um tempo para manter as leituras em dia e trazer resenhas ao blog, que é o seu principal foco. E, como sempre, apresento o ranking com as melhores leituras do mês. Preparado para conhecer o vencedor de março?


Capa do livro Primeiras estórias, Guimarães Rosa4° Primeiras estórias – João Guimarães Rosa (Nova Fronteira, 2016): Ao ler este título, pensamos que os contos presentes nesse livro são os primeiros que Guimarães Rosa, um dos mais importantes escritores da história da literatura brasileira, escreveu. De certa forma são suas primeiras histórias, mas as primeiras nesse gênero chamado de estória, contos bem curtos, rápidos. A escrita do autor é conhecida pelo uso da linguagem falada pelo povo do sertão, carregada, cheia de expressões locais e, às vezes, com erros ortográficos. Em alguns casos, até o narrador utiliza esse tipo de fala. Nem todas as estórias dessa edição são boas, incríveis ou marcantes. Porém, há algumas muito legais, que expressam um grande significado. É um livro que vai tirar o leitor de sua zona de conforto, pois trata-se de um estilo de escrita peculiar, único. Vale a pena conhecer esta obra para sair da mesmice, um novo desafio como leitor, mas não espere algo grandioso, pode não ser a leitura mais empolgante de sua vida (espero que, ao final, sua opinião sobre o livro possa ser um pouco mais positiva que a minha). Clique AQUI e veja minha resenha.


Capa do livro Não me abandone jamais3° Não me abandone jamais – Kazuo Ishiguro (Companhia das Letras, 2015): Se você acompanha as notícias do mundo da literatura, sabe que este foi o autor laureado com o Nobel de Literatura em 2017. Kazuo Ishiguro é um autor sério perdido no meio de tantos livros que não dizem nada, afinal não há tanto compromisso com a arte hoje, ao menos é um compromisso muito menor do que o comercial; na grande maioria dos casos, o interesse comercial superou o artístico. Talvez seja por isso que Ishiguro recebeu o maior prêmio da literatura mundial; foi merecido, posso afirmar isso após a leitura de ‘Não me abandone jamais’, uma história de amor, ambientada num universo de ficção científica. Trama com alguns mistérios que fazem a leitura continuar em ritmo constante. Todavia, há uma discussão muito maior por trás: o que é ser humano, na verdade? O que torna alguém humano? Não são informações encontradas de forma explícita, é o que está por trás da narrativa que enriquece esta obra. Se interessou? Então veja minha resenha AQUI para se interessar ainda mais.


Capa do livro O homem do castelo alto2° O homem do castelo alto – Philip K. Dick (Aleph, 2006): Livro que foi adaptado em uma série produzida pela Amazon, chama a atenção do público pela sua premissa: criar um mundo alternativo onde as forças do eixo venceram a Segunda Grande Guerra. PKD consegue criar um universo crível, bastante real, mas com certos elementos destoantes, como, por exemplo, os nazistas colonizando Marte (ele escrevia uma ficção científica exagerada). O que vemos na Terra é bem diferente, menos tecnológico. Na verdade, a população japonesa, que domina metade dos EUA (a outra metade é dominada pelos nazistas) adora objetos antigos e se interessam por história. A narrativa inicia-se apresentando um vendedor de antiguidades, evoluindo para algo muito maior: uma conspiração entre as potências dominantes, uma catástrofe que pode ter consequências terríveis para o mundo. PKD tempera essa mistura com um pouco de sua filosofia, questionando os limites do real e do irreal. O que seria realidade, afinal? Existem universos paralelos? Bem, descubra lendo o livro! Aproveite e veja minha resenha AQUI, para conhecer mais sobre PKD.


Capa do livro Memórias da casa dos mortos, Dostoiévski1° Memórias da casa dos mortos – Fiódor Dostoiévski (Martin Claret, 2016): Alguns clássicos permanecem atuais ainda hoje, e alguns ainda conseguem levantar debates presentes em nossa sociedade. É o caso de ‘Memórias da casa dos mortos’, livro inspirado nos longos quatro anos que Dostoiévski passou preso na Sibéria. Por isso a narrativa é um tanto quanto autobiográfica, misturando realidade e ficção. O protagonista também foi preso, um fidalgo vivendo entre semelhanças e diferenças. A psicologia que o autor gostava de incorporar aos seus livros está aqui, mas o debate principal é muito mais social. Afinal, prender alguém e castigá-lo, tratá-lo como um animal, irá recuperá-lo? Ele será uma nova pessoa ao retornar à sociedade? Como reage um homem confinado em um local onde sua identidade é perdida, onde não há dignidade? São temas presentes em todos os países, em todo sistema carcerário, que, convenhamos, são sistemas ineficazes, incapazes de recuperar uma pessoa, de proporcionar possibilidades para uma nova vida (falando de Brasil). Problemas antigos, mas ainda presentes. Livro valiosíssimo, um daqueles para se levar para a vida, que agregam muito ao leitor. Uma excelente tradução, direta do original, feita por Oleg Almeida, que manda muito bem ao transpor obras de grandes autores russos para o português brasileiro. Conheça mais sobre o livro AQUI.


Gostou desse ranking? Concorda com as posições? Deixe um comentário com sua opinião!

Feliz Páscoa, que seja um ótimo dia para você e sua família!

O post (de março) mais visualizado foi: ‘5 motivos para ler clássicos’! Ainda não viu? Clique AQUI para mudar isso!

Alan Martins

Ovos de Páscoa Coloridos
Elaborado sobre imagem de Gtjoflot, publicada sob Licença (CC0 1.0). Disponível em: https://pixabay.com/photo-2224664/.

Curta a página do blog no Facebook 👍

Siga no Instagram 📸

Siga no Twitter 🕊

Gosta de livros?📚 Veja outras dicas de leitura »»AQUI«««

Gosta de poesia? 🍂 Confira algumas »»»AQUI«««

Veja algumas dicas ‼  »»»AQUI«««

Confira algumas listas  »»»AQUI«««


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Anúncios

Autor: Alan Martins

Graduando em Psicologia. Amante da Literatura, resenhista e poeta (quando bate a inspiração). Autor e criador do Blog Anatomia da Palavra. Não sou crítico literário, porém meu pensamento é extremamente crítico.

7 pensamentos

  1. Lhe confesso que nunca reparo nas estatísticas do blogue, salvo quando o wordpress resolve me notificar que atingi isso ou aquilo. Já fui atenta a essas coisas, lá no começo da brincadeira, hoje eu curto mesmo é ter um blogue.
    Mas gostei de saber que foi para você enquanto blogueiro. Muitas pessoas tem reclamado da queda das visitas e sempre digo que ter um blogue dá muito trabalho, sobretudo, no que se refere a conteúdo, com tanta gente escrevendo e dizendo tantas coisas, não é nada fácil fazer algo que seja diferente e atraía leitores. Dá trabalho, mas o resultado é interessante.

    que abril seja ainda melhor.
    bacio

    Curtido por 2 pessoas

    1. Temos que saber que, em certas épocas do ano, as visualizações caem mesmo. Principalmente em época de férias ou feriados prolongados. Muita gente viaja e deixa a internet um pouco de lado. Esse fim de semana é um exemplo disso.
      É uma tarefa difícil manter-se único no mundo de hoje, trazer algo de diferente. Mas tentar isso é muito legal e divertido.
      Agradeço suas palavras e sua visita. Obrigado.
      Abraço. Um ótimo mês de abril.

      Curtido por 1 pessoa

  2. sempre uma lista de livros que instigam e incentivam à leitura. confesso que quebrei a cabeça (apenas metáfora!) e não consegui encontrar na minha memória esse do Guimarães. devo ter lido, mas não lembro – será a idade chegando e o esquecimento mais frequente? – mas, de toda a maneira, vou procurá-lo. li um livro – enfim, consegui! – do Ken Follet – Coluna de Fogo – 800 páginas. o tema é interessante, porém, como em seus livros mais alentados, a narrativa vai perdendo o fôlego. todavia, me incentivou a ler outro, não dele, sobre o mesmo assunto. desejo que abril seja para você feliz, com sucesso, e muitos livros. um grande abraço e o desejo de Feliz Páscoa.

    Curtido por 2 pessoas

    1. Olha, de cabeça é difícil lembrar todos os livros lidos mesmo, se não tiver anotado em algum lugar, é bem fácil de esquecer. O Skoob me ajuda nessa questão. Mas pode pode relê-lo, descobrir de novo essa linguagem peculiar do Guimarães Rosa.
      Eu tenho um aqui do Ken Follet que ainda não li, na verdade é uma trilogia, ‘O século’. Ele só escreve calhamaços mesmo!
      Fico feliz que tenha gostado do post e pelos seus comentários de incentivo. Que abril possa trazer muitas fotografias e belas paisagens e momentos para você registrar e postar para nós. Uma feliz Páscoa para você, sua família e seus amigos. Que venha uma mês de sucesso.
      Grande abraço, um ótimo domingo!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s